Arquivo da categoria ‘Viagens’

Anúncios

Rio-GoVal: Leopoldina

Publicado: 28 de março de 2014 em Viagens
Tags:, ,

Rio-GoVal Dedo de Deus

Publicado: 28 de março de 2014 em Viagens
Tags:, , ,

Metrô O’Hare-Centro Chicago

Publicado: 7 de dezembro de 2012 em Viagens
Tags:, , , ,

Chegando no aeroporto internacional de Chicago você deve pousar no Terminal 5. Após passar pela imigração, e pegar a bagagem, procure o trem que faz o transporte grátis dentre terminais. Descendo no Terminal 2, haverá várias placas indicando onde fica o CTA, trem urbano de Chicago. Na catraca você encontra uma máquina que faz a venda automática de bilhetes recarregáveis. Cada passagem custa U$2,25.

A linha que atende o O’Hare é a Purple, onde ela inicia. O trem vai em direção a Linden, seu ponto final. Esta linha faz um V, saindo do noroeste da cidade, indo até o centro, próximo ao Lago Michigan, retornando para região oeste.

Na linha purple você terá acesso às demais linhas que atendem Chicago.

Mais informações em http://www.transitchicago.com.

Moto, estrada e amizade.

top of Klausen Pass (Switzerland) Deutsch: Ort...

top of Klausen Pass (Switzerland) Deutsch: Ortstafel Klausenpasshöhe (Photo credit: Wikipedia)

Primeiro dia foi para conhecer a moto e o tipo de estradas. Aluguei uma NC700, Honda estilo misto, com pneus para asfalto e ABS.

Pra quem está acostumado com as Harleys, foi uma diferença e tanto. Ela tem uma ciclística completamente diferente, bem mais alta, posição de pilotagem ereta, com as pernas quase que voltadas pra trás. Não foi uma adaptação tão fácil, mas sem traumas. Mas a idéia de ter uma BM no futuro está agora descartada! 😉

E aluguei essa e não uma HD pelo simples motivo que as norte-americanas custariam por dia mais do que gastei com a japonesa de quinta à segunda. 🙂

Segue a rota do dia:

Depois de pegar uma estrada secundária dentro das cidadezinhas suíças, passamos a uma rota diferente, saindo do caminho principal, e entrando em uma zona mais rural. A estrada, apesar de perfeita, era muito estreita (diria uns 1,80 de largura), sem quaisquer sinalizações.

Depois de passar por uma região muito sinuosa – o que seria lugar muito comum em todas os passes, chegamos numa região de lagos lindíssima.

Que vista!

Mas o grosso da viagem ainda nos esperava. Depois de voltar às estradas normais, passando pelas pequenas cidades, chegamos ao passe principal do dia: o Klausenpass, com seus quase 2000 metros de altura.

Durante a subida, o clima, que estava ótimo, começou a ficar feio. Curvas muito fechadas, e pista molhada, começaram a deixar a subida perigosa. Chegando próximo ao topo, paramos para almoçar, e esperar que o clima melhorasse um pouco.

Paramos no Klausenpasshöhe, um lugar muito tradicional, onde comemos e bebemos muito bem. Chegamos já bem molhados, e encontrar um ambiente seco e quente foi confortador. Enquanto isso, o tempo lá fora iria piorar. E muito.

A comida estava ótima. Tomamos uma cerveja, e já nos preparávamos para sair novamente. Mas o clima só ficava pior. Lá fora as motos, que estavam estacionadas na frente, começaram a desaparecer…

Acabamos ficando cerca de 2h no hotel, o clima não melhorou nada. Esperamos apenas um momento em que a neblina não estava tão fechada, e encaramos o a chuva e frio. Fora a estrada super sinuosa em molhada em descida.

Acabou sendo um resto de viagem bem tenso. Com tanta chuva, não paramos mais para nada, muito menos fotos. Chegamos de volta a cidade ensopados.

Mas a viagem foi ótima! Muitas cervejas suíças pra comemorar a estréia!!!

Este ano resolvemos visitar amigos na Alemanha, onde faremos uma grande viagem de carro, e Suíça, onde vamos fazer os passes dos Alpes de moto.

Saímos numa Terça, 20h, do Internacional do Rio de Janeiro. Fizemos o Checkin na holandesa KLM, vôo Rio-Amsterdã, com destino final em Hamburgo. O bilhete foi retirado numa máquina via e-ticket, mesmo assim você precisa ir até o balcão despachar as malas. Difícil entender por que dois procedimentos. Em seguida enfrentar a greve da PF. Ficamos em torno de 1h na fila dos passaportes. Antecipando tudo isso, chegamos com 3h de antecedência.

Finalmente embarcados, o avião, apesar de não ser tão novo, tinha um bom espaço e monitor individual, com programação interativa. O atendimento foi padrão, nada demais ou de menos. Alimentação saborosa e em boa quantidade, apesar de ser um padrão mais pesado, com muitas batatas, molhos e embutidos. Cerveja Heineken, claro.

Com o pouco ângulo de inclinação da poltrona, tive muitas dificuldades para descansar. Devo ter dormido 2h somando tudo, em curtos períodos de 15 minutos.

Pousamos 12:30, horário local, no Schiphol. Fomos direto para a imigração tentar resolver logo para poder ficar liberado, apesar de antes mesmo você já estar muito bem servido de lojas e lanchonetes, o que pode te trair se a conexão for curta. Após uma pequena fila e algumas perguntas simples, como estadia e dinheiro, e verificação da reserva de retorno, passamos e procuramos nosso portão para a conexão para Hamburgo.

O Schiphol é gigante! Pode pegar uma escala longa aqui tranquilo que não vai haver tempo para ver tudo. E foi o que aconteceu pois nosso próximo vôo só sairia 16:50. Muitas e muitas lojas para satisfazer qualquer desejo consumista. E preços competitivos, ao menos com os do no embarque do Rio. Por ser tão extenso é bom ficar próximo ao portão de embarque. O tempo passa depressa.

http:// www.schiphol.nl/Travellers/AtSchiphol/Maps/ArrivalsAndSchipholPlaza1.htm

Pegamos nossa conexão para Hamburgo, também operada pela KLM. Em menos de 1h de vôo já estávamos pousando. Tudo perfeito no desembarque, malas restituídas rapidamente, meu amigo nos esperava.

Apesar de já ser 6h da tarde, e estarmos na segunda maior cidade da Alemanha, não pegamos trânsito algum. Digno de fazer inveja a qualquer grande metrópole no mundo. Aqui o transporte de massas funciona.

Inicialmente, a arquitetura da cidade parece ser bem simples. Os prédios repetem um padrão de tijolos à vista, de andares baixos, quadrados, que remonta à reconstrução da Alemanha após a guerra. O apartamento que ficamos era de 2 quartos, muito confortável.

Como estávamos muito cansados, pedimos comida indiana (pai do meu amigo nasceu na Índia), e já me esperava uma seleção de 6 cervejas alemãs para ficar por dentro do que eles têm de melhor.

image

Vai começar a festa!

Source: http://www.airpano.com/

A Visita Virtual ao Cristo 80 anos: Cristo 360 em O Dia Online

Cristo Redentor on Corcovado, Rio de Janeiro, ...

Como foi produzido este documento histórico:

  • Foram 4 dias fotografando num total de 13 horas e 30 minutos
  • Foram feitas 4.528 fotos gerando 91 GB de arquivos originais
  • Para compor a Gigafoto da cabeça do Cristo Redentor , foram utilizadas 1.063 fotos que resultou em uma imagem final de 29.8 GB
  • Essas 1.063 usadas foram fotografadas durante 1 hora e 45 minutos ininterruptos no dia 27 de setembro de 2011 por volta das 15hs, como pode ser observado no relógio da Central do Brasil que aparece na imagem
  • As fotos 360 graus que também podem ser visualizadas nesta Visita Virtual mostram perspectivas nunca antes vistas no Mundo em nenhum meio de comunicação, seja na internet ouimpressas !!!

Uma das Maravilhas do Mundo está documentada em um formato esplendoroso que permite aos visitantes observarem pontos de vista do Rio, através da nossa Gigafoto que nem mesmo a olho nú é possível estando no mirante do Cristo Redentor.

Leões Marinhos no pier 39 – vídeo

Publicado: 17 de setembro de 2011 em Viagens